6.14.2017

Eros

Soubemos à partida que iamos ser eu e tu contra o mundo e mesmo assim juntamos forças e fizemos frente às correntes e ventos que nos faziam recuar. Fizemos.
Hoje, mais do que nunca, somos um só. Um só que escolheu o orgulho, um só que abraçou os próprios sentimentos e não olhou para o lado, um só que fez as malas e partiu, para longe, longe dos braços de um amor confortável e seguro.
Nós que juramos amor eterno, que fomos loucos o suficiente para não ouvir o que nos saía descontroladamente da boca, nós que conseguimos ser tanto, mas...
E há sempre um mas porque buscamos a perfeição. Ridículo certo? E esquecemo-nos, ou forçamo-nos a esquecer que estamos a cuidar de alguém, que temos a felicidade de outro nos nossos braços. Tão pouco mas tão imenso.
Tão distante que me esqueci do conforto do teu peito, da força do teu abraço e do olhar que me acalmou nas piores horas.
Só precisavas de estar ali, sorrir e salvar-me dos cães.
Eternamente grata.

12.04.2016

💚💚

Há sempre tempo para o que nos embala, o que nos segura e faz emergir o suspiro de um amor profundo.
Há sempre tempo para o que nos faz querer ser loucos, dançar à chuva, o que nos faz suportar tempestades, distâncias infinitas e alicerces debaixo do braço para suportar o que é sol, o que não dá vontade de largar, que te faz andar com a cabeça na lua.
Há sempre tempo. Se não for hoje é amanhã. Só não há tempo quando já não é nítido, quando te sentes na terra com saudades da lua, das estrelas e das nuvens. Não ha tempo se não houver calor, nem música. Se não sorrires.
E se não sorris o mundo ficou sem luz.
Ao que me faz ter a cabeça na lua e um braço em marte. Que me faz querer ser Vénus. Amo-te.      

5.07.2016

Galáxias

Desculpa não conseguir ser mais, não demonstrar mais. Não sou boa a demonstrar a galáxia de sentimentos que percorre cada parte do meu frágil corpo.
Desfaço-me se não te aventuras. Não tenhas medo. Não sou mais do que aquilo que vês, não sou, talvez, o que pensas.
Conhece-me. Jura-me o sol, e as estrelas, e o brilho que invade os teus olhos quando me aproximo, quando seguras a minha mão, jura-me amor.
Não enlouqueças, nem percas o juízo se não me entenderes, eu juro que não sou complicada. Deixa-me mergulhar no mar que invade a tua alma, o cheiro a vida vivida que se arrasta atrás de ti.  Não fujas.
Ainda é cedo para amar, deixa andar, deixa-te arrastar no pouco amor que te dou, deixa-te cair nos meus braços e deixa-me fazer-te sentir seguro. Juro que cuido de ti. Juro que, se os ventos não soprarem a nosso favor que te vou segurar, e segurar o mundo que nos tornamos, e o amor ha-de ser a principal cidade.
Não me deixes, não te afastes só porque a minha indecisão chegou na hora errada,  ou por descobrires que nem sempre sorrio ou sou engraçada. Desculpa não ser perfeita, não sou perfeita, nunca o hei-de ser.
Continua do meu lado, continua a intimidar-me e a conhecer-me cada vez que me olhas e te aventuras na profundidade dos meus olhos, continua a segurar a minha mão e a dar-me toda a boa energia de que és feito e acalma-me que eu juro amor que não vou parar de te amar

4.26.2016

Deixo-te partir porque és livre, gostas de se-lo e sempre o foste... Não me pertences jamais, outrora quiçá, numa fração, numa pequena fração de segundos fostes meu; quando teimavas em olhar-me fixamente, aproximavas-te e beijavas-me, quando esqueciamos o que nos rodeava e entrelaçavamos os dedos, "mais nada importa agora". Deixei-te partir porque a partida é mais fácil de suportar do que o teu silêncio.
A calmidade que te consumia desaparecera, metaforicamente és um cigarro, mais dois tragos e apagas-te. Apago-te, mas este cheiro, este cheiro malicioso teima em parmenecer nas minhas maos e na minha roupa.

Estou na praia, mais sozinha que o habitual, sento-me e puxo de um cigarro, acendo-o e peço aos ventos que levem o que resta de ti em mim, não suporto mais a angústia de ter que caminhar sozinha, de percorrer esta praia sem ter ninguém para dar a mão, sorrir, olhar para o fim do oceano e saber que o mundo era todo meu, naquele momento segurava-o...

Ainda tentei abraçar-te, mostrar-te que sou mais do que aquilo que ves, que não precisava de mais nada apenas de ti, mas o amor que me prometeste falhou, e nada me mata mais do que promessas quebradas.

4.06.2016

carta de despedida

Não é o adeus que custa mais, é quando nos começamos a apercebe que o fim está a um passo, que não dá mais que é uma perda de tempo forçarmos o que nunca esteve destinado. 
Olharmos para trás e ver que podiamos ser tão imensos e profundos mas escolhemos ser nada, escolhemos as palavras porque na verdade são mais fáceis do que atitudes, escolhemos desviar a cara ou dizer apenas um olá porque fica bem.. 
Escolheste ir embora e levar contigo toda a serenidade que outrora trouxeste. Fomos tanto e hoje não conseguimos lá chegar. Tropeçamos no que ficou pelo caminho porque decisões precipitadas levaram-nos a caminhos errados.  
Não nos resta muito até decidirmos o que seremos amanhã, passado certamente.. E é agora que me sinto cada vez mais ansiosa, se há um ano me perguntasses onde queria estar hoje responder-te-ia que "no Dubai" ou então "desta vez escolhes tu"... Não me imaginava a perder-te, não tão rápido. 
Criei mentalmente alguém que não és tu, não existe, e é talvez isso que mais custe. Cair na realidade, é agora que nos sentimos ridículos, que o teu perfume sai forçadamente da minha roupa, o teu sorriso deixou de existir e o teu olhar já não transmite mais nada. 
Só espero que esta não seja mais uma das nossas decisões precipitadas. 

12.23.2015

desabafos de uma miúda que vive e respira insónias.

Achas sempre que vais ter mais tempo, que amanhã é um novo dia, uma nova oportunidade, adormeces a pensar que é amanhã que lhe contas, mas dás voltas e mais voltas na cama, misturas a tua pele com os lençóis. Acordas e tens mil e uma coisa para fazer naquele dia e não tens tempo para lhe contar e voltas à mesma rotina. Até quando vais continuar nisto?
Conta-lhe que te apaixonaste, que tentaste evitar mas não conseguiste,

(não mandas naquilo que sentes)

que tentaste abafar o sentimento com a ausência e que  ainda conseguiste, por pouco tempo, e ele voltou e sorriu-te. E voltaste a ama-lo, devagar, voltaste a lembrar-te porque é que te tinhas apaixonado. E lembraste que ele é tão diferente, que é tudo aquilo que quiseste, mas também te lembras de todas as vezes que o tentaste trazer para ti mas ele não foi.
E choras. Não chores. Lembra-te que

(não há tempo para tristezas nem para odiar alguém.)

Antes dele eras só tu. Não queiras amar alguém se não sabes gostar primeiro de ti.

8.25.2015

Faz as malas, fugimos hoje. Mas não te despeças. 
Vamos ser loucos e vamos amar-nos porque é isso que falta, amor. E falta quem saiba amar. 
Por isso amor, hoje somos só eu e tu. 

Só quero que saibas que és o melhor que me aconteceu até hoje, mesmo que o melhor não seja uma imensidão de tempo, mas o pouco tempo que for vais torna-lo numa eternidade, e mesmo que isto não faça sentido, não te preocupes amor, nós vamos torná-lo sentido. 
Vamos fazer sentir o amor que nos falta, vamos fugir, leva-me para a praia. É isso. Quero ver o por-do-sol, contigo e só contigo. Quero ouvir o som das ondas e do teu coração, quero sentir o cheiro do tabaco na tua roupa e quero-te ver sorrir quando estiveres distraído, porque é isso que te torna tão lindo. Quero-me perder na cor dos teus olhos e na imensidão da tua loucura. Quero correr contigo pela praia e quero-te atirar ao chão e dizer que sou tua, sou só tua. Nunca quis tanto na vida querer ser de alguém como quer ser tua. Quero adormecer no teu colo, quero que me mexas no cabelo. Quero-te abraçar e quero ser feliz, nada ninguém me faz tão feliz como tu fazes.
Quero ser só eu e tu, sem problemas e sem complicações.

Vamos ser jovens e felizes. Vamos rir-nos do que não faz sentido e vamos falar de amor porque já ninguém fala de amor.