Avançar para o conteúdo principal
Faz as malas, fugimos hoje. Mas não te despeças. 
Vamos ser loucos e vamos amar-nos porque é isso que falta, amor. E falta quem saiba amar. 
Por isso amor, hoje somos só eu e tu. 

Só quero que saibas que és o melhor que me aconteceu até hoje, mesmo que o melhor não seja uma imensidão de tempo, mas o pouco tempo que for vais torna-lo numa eternidade, e mesmo que isto não faça sentido, não te preocupes amor, nós vamos torná-lo sentido. 
Vamos fazer sentir o amor que nos falta, vamos fugir, leva-me para a praia. É isso. Quero ver o por-do-sol, contigo e só contigo. Quero ouvir o som das ondas e do teu coração, quero sentir o cheiro do tabaco na tua roupa e quero-te ver sorrir quando estiveres distraído, porque é isso que te torna tão lindo. Quero-me perder na cor dos teus olhos e na imensidão da tua loucura. Quero correr contigo pela praia e quero-te atirar ao chão e dizer que sou tua, sou só tua. Nunca quis tanto na vida querer ser de alguém como quer ser tua. Quero adormecer no teu colo, quero que me mexas no cabelo. Quero-te abraçar e quero ser feliz, nada ninguém me faz tão feliz como tu fazes.
Quero ser só eu e tu, sem problemas e sem complicações.

Vamos ser jovens e felizes. Vamos rir-nos do que não faz sentido e vamos falar de amor porque já ninguém fala de amor.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Eros

Soubemos à partida que iamos ser eu e tu contra o mundo e mesmo assim juntamos forças e fizemos frente às correntes e ventos que nos faziam recuar. Fizemos.
Hoje, mais do que nunca, somos um só. Um só que escolheu o orgulho, um só que abraçou os próprios sentimentos e não olhou para o lado, um só que fez as malas e partiu, para longe, longe dos braços de um amor confortável e seguro.
Nós que juramos amor eterno, que fomos loucos o suficiente para não ouvir o que nos saía descontroladamente da boca, nós que conseguimos ser tanto, mas...
E há sempre um mas porque buscamos a perfeição. Ridículo certo? E esquecemo-nos, ou forçamo-nos a esquecer que estamos a cuidar de alguém, que temos a felicidade de outro nos nossos braços. Tão pouco mas tão imenso.
Tão distante que me esqueci do conforto do teu peito, da força do teu abraço e do olhar que me acalmou nas piores horas.
Só precisavas de estar ali, sorrir e salvar-me dos cães.
Eternamente grata.

💚

Querer ter a coragem de hoje te dizer tudo o que sinto, que nem todos os dias foram bons e nem todas as horas foram tuas. Dizer-te que hoje te quero mais do que outrora te quis, que não soube lidar com todo o amor que me deste. Mas a vida segue, e nós seguimos em frente, culpa do destino nem pensar, culpa minha por querer ter o que nunca foi meu, por querer ser maior do que o meu tamanho. Por egoísmo talvez, perdi-te.
Mas sempre estive ali, aguentei o que pude, até quando achei que não fazia mais sentido continuar a segurar o que não me pertencia, mas hoje olho e vejo que eras tudo, tudo o que hoje suplico de volta.
Então volta para o que nunca foi teu mas que hoje te quer, então volta a procurar-me onde quer que seja. No café ou no supermercado. Procura o meu olhar quando suplico que me vejas, e vejas que tudo o que me faltou está hoje presente em mim. Um coração cheio de amor e uma mão que te quer segurar. Um corpo frágil que insiste em te proteger e uns sonhos para realizarmos. T…

Casa

Pudesse eu dizer-te que a vida é efêmera, que também ela é irregular, sem o travo doce do desejo de partilha; pudesse eu proteger-te do mal que te fiz.
A culpa que carrego aos ombros é hoje mais pesada. Trago em mim a saudade desse olhar tão teu, tão meu e tão sem jeito. Trago a saudade da saudade boa, do que devia abraçar com toda a força para que nunca tivesse partido, quebrado ou dispersado. Para o que foi meu.
Para longe.
Pudesse eu ter segurado cada lágrima que teimou em se mostrar, pudesse eu ter-me desfeito do manto frio que vesti, que usei orgulhosamente. Porque quis e fiz, e se fiz estava certa.
Mas não estava.
Pudesses saber que nada é tão teu, que nada hoje é correto, que te encontro e te trago, que te levo para onde vá. Pudesses saber que és tudo em tão pouco que a vida é.