12.23.2015

desabafos de uma miúda que vive e respira insónias.

Achas sempre que vais ter mais tempo, que amanhã é um novo dia, uma nova oportunidade, adormeces a pensar que é amanhã que lhe contas, mas dás voltas e mais voltas na cama, misturas a tua pele com os lençóis. Acordas e tens mil e uma coisa para fazer naquele dia e não tens tempo para lhe contar e voltas à mesma rotina. Até quando vais continuar nisto?
Conta-lhe que te apaixonaste, que tentaste evitar mas não conseguiste,

(não mandas naquilo que sentes)

que tentaste abafar o sentimento com a ausência e que  ainda conseguiste, por pouco tempo, e ele voltou e sorriu-te. E voltaste a ama-lo, devagar, voltaste a lembrar-te porque é que te tinhas apaixonado. E lembraste que ele é tão diferente, que é tudo aquilo que quiseste, mas também te lembras de todas as vezes que o tentaste trazer para ti mas ele não foi.
E choras. Não chores. Lembra-te que

(não há tempo para tristezas nem para odiar alguém.)

Antes dele eras só tu. Não queiras amar alguém se não sabes gostar primeiro de ti.

Sem comentários:

Enviar um comentário